Não é preciso consultar um guru em finanças e nem mesmo a assessoria de um especialista em economia para podermos saber o que deve e o que não deve ser comprado. O que deve ser comprado, possui uma única e simples regra:

 “Só devemos comprar aquilo que pode ser revendido com lucro”

Excluindo desta regra, evidentemente os bens não duráveis (Ex: vestuário) e os itens de subsistência (Ex: alimentos), fazem parte da lista, itens como:

  • Imóveis;
  • Empresas;
  • Obras de arte.

Existem ainda, bens que estão em processo de transição, ou seja, passando de duráveis e suscetível a compra, para bens apenas de consumo. O maior exemplo disso são os automóveis, cuja a compra está sendo substituída pelos serviços de locação e de transporte orientado por aplicativos (Ex: Uber).

Na realidade você só deve comprar bens duráveis que tendem a se valorizar com o decorrer do tempo e definitivamente software não é um bem durável.

Por que a venda de software não é mais praticada?

A compra de licença de softwares foi uma prática comum na década de 1980 e 1990 pois na realidade era a única opção oferecida pela indústria de software. Atualmente, as melhores empresas de tecnologia que atuam no desenvolvimento de software possuem o modelo de assinatura de licenças de uso, conhecido como SaaS (Software como um Serviço).

Por que o modelo de assinatura substituiu a venda?

No modelo de assinatura você contrata, por tempo determinado, os serviços de uma empresa que incluem a licença de uso. Por se tratar de um serviço, você paga somente pelo tempo que deseja consumir/usar, não justificando em hipótese alguma o alto investimento em uma compra, visto que, um software adquirido não se valorizará com o decorrer do tempo. Muito pelo contrário, envelhecerá e se tornará ultrapassado rapidamente, impossibilitando assim uma revenda futura.

Se já não bastasse as questões de ordem econômica, citadas acima, o modelo de aluguel ainda possui inúmeras vantagens em relação ao antigo e obsoleto modelo de venda de licenças.

Qual a vantagem do modelo de assinatura?

A grande vantagem do modelo de assinatura é permitir que o contratante tenha a liberdade e o poder de avaliar periodicamente a qualidade dos serviços prestados e optar pela continuidade ou não do contrato. Como o modelo não possui nenhum tipo de multa ou penalização ao ser encerrado, naturalmente exige que a empresa contratada esteja sempre à frente das expectativas do cliente usuário, ou seja, oferecendo produtos e serviços cada vez melhores e assim garantir que a parceria Cliente / Empresa perdure de forma sustentável e harmônica por um longo prazo.

Gostou? Compartilhe!

Clique aqui e conheça uma empresa que oferece em um único sistema sem necessidade de AutoCAD uma solução completa com suporte técnico, treinamentos e atualizações inclusas.