Regularização Urbana utilizando Ortofotos

A Regularização Urbana é um tema cada vez mais importante na agrimensura, ainda mais depois do decreto 8.764 que instituiu o SINTER – Sistema Nacional de Gestão de Informações Territoriais – e da Lei Federal 13.465, de 2017, que dispõe sobre a regularização fundiária rural e urbana.

De acordo com a Lei 13.465, podemos considerar “núcleo urbano”:

I – Núcleo urbano: assentamento humano, com uso e características urbanas, constituído por unidades imobiliárias de área inferior à fração mínima de parcelamento prevista na Lei nº 5.868/1972;

II – Núcleo urbano informal: aquele clandestino, irregular;

Levando em conta a quantidade de imóveis irregulares no Brasil, sendo estes núcleos urbanos, o maior desafio dos gestores é encontrar mecanismos eficientes e economicamente viáveis para acompanhar a expansão da cidade e planejar a evolução do município.

A arrecadação de IPTU é uma das principais fontes de receitas para a prefeitura. Por isso, um cadastro atualizado ajuda no desenvolvimento do município, cumpre com a Lei de Responsabilidade Fiscal e também promove aumento imediato da arrecadação.

Para os profissionais Geomensores que prestarão este serviço para as prefeituras, a atualização cadastral é oportunidade de trabalho, levando em conta que a maioria dos municípios do Brasil são pequenos e médios, e consequentemente, não dispõe de tecnologias para efetuar a regularização do IPTU.

Levando em conta que hoje a tecnologia auxiliar cada vez mais os profissionais, ainda mais com a utilização de drones e ortofotos, quais são os principais desafios neste tipo de projeto?

Performance

A tecnologia de drones e imageamento está cada vez mais espalhada, por isso, a capacidade de geração de ortofotos com alta precisão é enorme. Temos especialistas na área e o oferecimento de equipamentos também é grande. Em contrapartida, é necessário ter performance para manipular estes dados pesados. Qual é a melhor maneira de utilizar uma ortofoto de 5GB, 8GB, 12GB?

Vetorização

Em um projeto de atualização cadastral, depois de possuir a ortofoto com alta precisão do município, o próximo passo seria a vetorização dos dados: quadras, lotes, edificações, piscinas, entre outros tipos de vetores. Como são muitos dados, a vetorização deverá ser a mais simples possível, sem perda de qualidade.

Dados já existentes

A prefeitura já tem uma base de dados utilizada para o envio dos carnês de IPTU. Mas, como o Geomensor irá trabalhar com este banco de dados? Como irá utilizá-los por conta própria? É possível?

Relatórios

Depois de possuir a imagem, criar os vetores sobre a ortofoto e vincular estes dados com o banco de dados que já existe na prefeitura, como faço a análise de tantos dados? Como gerar de forma inteligente e rápida os relatórios para entregar à prefeitura no caso de uma regularização de IPTU?

Órgãos municipais

Em um município, todos são interessados na atualização cadastral. Mas, existem diversos interesses distintos em um único cenário. É necessário conciliar estes interesses dos diversos setores em uma única prefeitura.

Todos estes desafios citados acima, para quem vai trabalhar com a atualização cadastral, devem então ser pensados para Viabilidade, produtividade e segurança do projeto.

O projeto de atualização cadastral deverá ser economicamente viável, para ambos os lados, prefeitura e geomensores. Como o projeto muitas vezes é ‘longo’, a produtividade deve ser uma das bases da execução. Por fim, a segurança nas informações é fundamental. Seriedade no fluxo das operações técnicas e confiança nos produtos gerados também devem ser buscados durante o projeto.

Entendendo estes desafios e vislumbrando este vasto mercado de trabalho, a Métrica lançou o software Métrica CITY Profissional.

Neste produto você tem: importação de imagens aéreas, vetorização em CAD e análise em ambiente SIG, ou seja, tudo que você precisa para a regularização do IPTU em um único software.

Um dos principais recursos a se destacar é a capacidade que o Métrica CITY PRO tem de trabalhar com imagens aéreas pesadas de alta resolução, produzidas por Drones. A utilização de Drones e Vants, aliás já é uma realidade na geomensura e a Métrica investiu alto em pesquisas e desenvolvimento para atender esse mercado.

A facilidade de instalação e a praticidade de uso das ferramentas também são pontos positivos do produto. O ambiente CAD foi pensado e desenvolvido exclusivamente para a vetorização dos imóveis sob a ortofoto. Todos os recursos são de fácil aprendizado e podem ser utilizados por pessoas com ou sem experiência em CAD e SIG.

Foi desenvolvido um produto eficiente e de baixo custo, que entrega recursos de alta performance mesmo em computadores comuns, evitando que os geomensores tenham que investir em softwares caros ou supercomputadores.

Para saber mais sobre o Métrica CITY PRO, acesse https://adquirir.metricacity.com.br

Back to Top